Minha foto
MG, Brazil
"Se tivesses acreditado nas minhas brincadeiras de dizer verdades, teria ouvido as verdades que insisto em dizer brincando..."

Pesquisar

Os textos preferidos...
As letras das músicas...
Meus pensamentos...
Pensamentos que traduzem os meus...
As piadas...
As imagens...
Os vídeos...

Aproveite e descubra um pouco mais de mim...

É preciso muita poesia na alma para encarar...
É preciso muita fé no ser humano para suportar...
É preciso muita luta interna para não desanimar...
E é preciso, antes de mais nada, ser um eterno aprendiz para só assim aprender a ensinar!


"Me interprete como quiser... Me veja da sua maneira... Pode me julgar. Só não espere que eu seja isso que você pensa!!!"



domingo, 5 de setembro de 2010

A quem muito foi dado, muito será pedido

"As palavras de Jesus são eternas, porque são a verdade". Esta frase é de Allan Kardec no Evangelho Segundo o Espiritismo. Jesus Cristo deixou-nos, sem nada escrever, ensinamentos da maior importância para nosso crescimento moral. Ao percorrermos o Evangelho de Jesus, encontramo-nos situados em todos os segmentos por causa das nossas imperfeições. Disse-nos Ele: "Porque aquele servo, que soube a vontade de seu Senhor, e não se apercebeu, e não obrou conforme a sua vontade, dar-se-lhe-ão muitos açoites. Mas aquele que não a soube, e fez coisas dignas de castigo, levará poucos açoites. Porque todo aquele, a quem muito foi dado, muito será pedido, e ao que muito confiaram, mais contas lhe tomarão. (Lucas, XII: 47-48.)"
Há vinte séculos este ensinamento está conosco. Não podemos pretextar desconhecimento para justificar letargia. Muitos não se interessam por desconhecer seu verdadeiro caminho. Teriam que abdicar da vida mundana passando a percorrer a estrada da verdade, através da reforma interior, anulando as mazelas enraizadas em seu Ser ao longo das diversas encarnações.
Disse-nos mais o mestre Jesus: Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida, ninguém chegará ao Pai senão por Mim. Essa é a realidade de todos nós, seja qual for a religião a qual pertençamos, ser- nos-á cobrado na medida do nosso conhecimento. Para os espíritas a prestação de contas é maior por causa da clareza das informações. Os Espíritos do Senhor reviveram os ensinamentos de Jesus de forma simples e esclarecedora, através da Codificação Kardequiana.
"Se fôsseis cegos, não teríeis culpa", alertou-nos Jesus da nossa culpabilidade quanto aos conhecimentos adquiridos. Os médiuns são os porta-vozes dos Espíritos aqui na Terra, devendo aproveitar a oportunidade para seu aprimoramento moral. Se assim não procederem por orgulho, vaidade ou outras mazelas sofrerão as conseqüências de sua insensatez e imaturidade; terão o concurso dos Bons Espíritos se tiverem consciência da sua responsabilidade, contribuindo com o crescimento da humanidade e para a sua em particular. Os espíritas por conhecerem de forma mais clara os ensinos de Jesus devem procurar acelerar sua melhora porque, já não são mais cegos e, por muito lhes ser dado devem atentar para os conselhos dados pelos Espíritos em tudo que lhe diga respeito, com sinceridade, para não se transformarem em Fariseus dos nossos tempos, assim procedendo, multiplicará o número dos escolhidos.
Para ser cristão não é necessário estar em um templo religioso. Ele nos disse que herdaria o Reino de Deus quem fizesse a vontade do Pai. Se conhecemos o Evangelho de Jesus somente com entusiasmo, sernos-á cobrado a nossa indolência por não termos sido tocados no coração. É necessário que cada um se analise procurando descobrir suas qualidades e defeitos, aprimorando as qualidades e corrigindo os defeitos.
Aos que se propõem a realizar uma tarefa de esclarecimento ou qualquer outra atividade nas casas espíritas, o peso da responsabilidade é muito maior. Caso se faça cego e surdo aos chamados dos ensinos, resistindo em suas necessidades de mudanças, é colocado na condição dos fariseus de quem Jesus dizia que não se curavam de seus males porque preferiam continuar em sua cegueira espiritual. A única forma de nos colocarmos em situação diferente desta é exercitando a humildade."

Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo XVIII, itens 10, 11 e 12
Comentários: Carlos Augusto Rabelo