Minha foto
MG, Brazil
"Se tivesses acreditado nas minhas brincadeiras de dizer verdades, teria ouvido as verdades que insisto em dizer brincando..."

Pesquisar

Carregando...

Os textos preferidos...
As letras das músicas...
Meus pensamentos...
Pensamentos que traduzem os meus...
As piadas...
As imagens...
Os vídeos...

Aproveite e descubra um pouco mais de mim...

É preciso muita poesia na alma para encarar...
É preciso muita fé no ser humano para suportar...
É preciso muita luta interna para não desanimar...
E é preciso, antes de mais nada, ser um eterno aprendiz para só assim aprender a ensinar!


"Me interprete como quiser... Me veja da sua maneira... Pode me julgar. Só não espere que eu seja isso que você pensa!!!"



segunda-feira, 2 de abril de 2012

Ser Professor hoje – Desabafo

Luciano Rodrigues Gallo

Quando, nesse mês, olhei o que vou receber, eu ... nem sei.
Ouvi em um documentário, acho, que “professores não ensinam esperando nada em troca, ensinam porque gostam”, e fiquei pensando até que ponto isso é real.
Me lembrei do quanto trabalhei pesquisando e preparando aulas diversificadas, pois a cada dia está mais difícil cativar a atenção dos alunos que, além de se julgarem auto-suficientes, assimilaram a idéia de que não é preciso nenhum esforço, pois a escola de hoje lhes garante aprovação de qualquer forma; me lembrei das noites em frente a um computador elaborando trabalhos, provas, que, ao contrário do que pensam, demanda um esforço mental para adequá-los à realidade das turmas onde serão aplicados; me vi novamente enfrentando as situações difíceis dentro de sala de aula, onde temos que ser mais que simples professores, pois fazemos o papel de pais, babás, psicólogos, profissionais de saúde e tantos outros mais quanto forem necessários para lidar com os problemas dos alunos, dos pais de alunos, etc., e, enquanto fazemos isso temos que nos esquecer totalmente nossas próprias limitações, nossos próprios problemas, pois temos que ser os “profissionais que trabalham por amor”; me lembrei das reuniões que todos temos que “agüentar”, e digo isso, pois até hoje eu não entrei em nenhuma reunião onde o esforço dos professores fosse reconhecido, somente cobranças e aumento no volume de trabalho é o que escutamos, isso pra dizer somente o mínimo.
Quando parei e analisei friamente minha planilha de custos e receita percebi que gosto mesmo de ensinar, pois o que ganhamos não compensa nem de longe todos esses desgastes.
Até quando seremos tratados com esse descaso por parte de todos, inclusive “colegas” que por ocuparem cargos melhores se esquecem totalmente da realidade nua e crua com a qual temos que lidar diariamente? Até quando seremos desrespeitados em nossas necessidades básicas pela sociedade? Até quando seremos vistos como aqueles que não tem importância para autoridades, que para se manter no poder investem na ignorância dos eleitores (Um povo ignorante é mais fácil ser manipulado)? Até quando a sociedade vai se negar a enxergar que somente se desenvolve o país que investe alto em educação, de verdade, e investir alto significa também valorizar os profissionais que nela atuam, e isso no nosso país e nosso Estado está muito longe de acontecer? Até quando vamos permitir que políticos incompetentes e corruptos cuidem da formação dos nossos filhos?Até quando esse país vai ficar deitado em berço esplêndido assistindo aos “espertalhões” tirarem toda a riqueza que nos foi dada por Deus? Até quando essa Nação vai dormir? Acordem, esse país precisa urgentemente de um povo que tome (através do voto) as rédeas do seu destino...
Somos professores sim, ensinamos por amor sim, mas precisamos sobreviver de maneira digna tendo todas as nossas necessidades atendidas satisfatoriamente. O amor que tenho pelo que faço não coloca o feijão na minha mesa.


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Carta à Presidente do Brasil


Exma Presidente do Brasil,
Venho por meio deste solicitar de V.Sa. que olhe com especial atenção ao que está ocorrendo em nosso Estado!
Somos mineiros e nos orgulhamos disso, e, independente de qualquer coisa estou deverás mortificado com o que tenho assistido.
- Acusações inverídicas por parte do governo aos trabalhadores da Educação;
- Tratamento desumano, pois só assim consigo descrever as atitudes truculentas contra os professores tratando-os como bandidos por não concordarem com a posição do governo Estadual, que está equivocada e viola claramente a Constituição do nosso país, que garante o "Direito de greve", o "Direito de Ir e Vir", etc.
- Além disso, o governo não cumpre a Lei 11.738/08 que institui o Piso Nacional dos Profissionais da Educação e foi declarada plenamente constitucional pelo STF neste ano.
Sou professor em Minas Gerais e estou, como muitos, atravessando um processo de profunda decepção com o tratamento dado à Educação em um dos Estados mais ricos e desenvolvidos do país, sem que a União tome qualquer posição, contrariando o que me chamou a atenção à época das eleições, onde, por mais de uma vez a ouvi prometer cuidar da valorização da Educação e dos professores.
Acompanhei todo o processo de campanha difamatória que foi feito para desestabilizar a sua campanha, e por muitas vezes, a defendi com unhas e dentes, pois sabia de sua seriedade e compromisso com os menos favorecidos. Ainda acredito muito naquilo que acreditava naquela época, porém, acho que o governo federal está sendo desrespeitado pelo governador de Minas Gerais e algo deve ser feito de forma mais eficaz e contundente, demonstrando que se a Lei existe ela deve ser cumprida por todos indistintamente, a começar dos Estados.
Sei de toda a sua luta durante a ditadura militar, e o que vimos na Praça da Liberdade na última sexta-feira 16/09/2011 foi uma reprodução do que acontecia naquela época. Se estivesse presente com certeza sua memória voltaria à época em que sentiu na própria pele a truculência de um governo autoritário que recorre a violência física e psicológica, pois não consegue encontrar argumentos para as atitudes que toma e mentiras que diz. Um governo que em todos esses dias de greve não foi capaz de conversar com os Educadores; Um governo que demonstra uma total falta de competência no que se refere a solução de um problema; Um governo que é capaz de pagar por horário nobre na televisão para falar inverdades sobre os professores, sobre o Sindicato e, principalmente, sobre a Educação de Minas Gerais. A educação pública de Minas é mascarada por números que não traduzem, nem de longe a realidade.
Poderia ficar aqui falando de tudo que está errado em Minas, mas vou encerrar com um pedido de um mineiro, que ama seu Estado, a outro, ou de um brasileiro que jamais pensou ver seu país trilhar um caminho tão brilhante como o que tem trilhado.
Não deixe, presidente, que este indivíduo transforme nosso Estado, sempre reconhecido como BERÇO DA LIBERDADE, em um arremedo de democracia.
Não deixe que toda a sua luta se perca, que tudo o que sofreu tenha sido em vão!
Não acredite em tudo o que lhe dizem, assim como a maioria das pessoas que votaram em você não acreditaram nas mentiras que tentaram nos fazer engolir. Não é engraçado perceber que as duas situações foram provocadas pelo mesmo partido político PSDB.
Um forte abraço de um brasileiro que se orgulha de ter votado em você, apesar das mentiras. Com fé sempre.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Blog do Euler: A procissão dos educadores de Minas...

Blog do Euler: A procissão dos educadores de Minas...: "A procissão dos educadores de Minas... Neste feriado de Corpus Christi , quando os católicos celebram o corpo de Cristo na Eucaristia, o..."

sábado, 18 de junho de 2011

Blog do Euler: Subsídio é o nome da peste!

Blog do Euler: Subsídio é o nome da peste!: "Subsídio é o nome da peste! Em época de gripe , de vírus que se espalham pelo ar, de dengue e tantas outras pragas mais, os educadores d..."

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Blog do Euler: Entrevista revoltante: o que a secretária da Educa...

Blog do Euler: Entrevista revoltante: o que a secretária da Educa...: "Entrevista revoltante: o que a secretária da Educação não disse para o jornalista Eduardo Costa Eu não ouvi a infeliz entrevista da sec..."