Minha foto
MG, Brazil
"Se tivesses acreditado nas minhas brincadeiras de dizer verdades, teria ouvido as verdades que insisto em dizer brincando..."

Pesquisar

Os textos preferidos...
As letras das músicas...
Meus pensamentos...
Pensamentos que traduzem os meus...
As piadas...
As imagens...
Os vídeos...

Aproveite e descubra um pouco mais de mim...

É preciso muita poesia na alma para encarar...
É preciso muita fé no ser humano para suportar...
É preciso muita luta interna para não desanimar...
E é preciso, antes de mais nada, ser um eterno aprendiz para só assim aprender a ensinar!


"Me interprete como quiser... Me veja da sua maneira... Pode me julgar. Só não espere que eu seja isso que você pensa!!!"



sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Final de Ano

Final de Ano é sempre marcado, para nós professores, por muito trabalho, muitas provas e trabalhos para corrigir, diários para fechar, etc, etc, etc...
O ano de 2010 marcou a minha vida por inúmeras razões que pretendo, à partir de agora, compartilhar com vocês...
Vários fatos de toda natureza ocorreram em minha vida, e, como sempre, só consegui entendê-los após muita reflexão...
Fazem parte da minha caminhada buscando meu amadurecimento como pessoa e como Homem.
Desculpem-me a ausência, porém foi necessário para que acontecessem todas as transformações.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Gandhi

Rubem Alves

T.S.Eliot, poeta, escreveu o seguinte aforismo: ‘Numa terra de fugitivos, aquele que anda na direção contrária parece estar fugindo.’ É fácil entender os que andam na direção em que todos andam. Seus pensamentos e atos têm suas origens no tempo e são expressões da teia das relações sociais em que estão enraizados. Eles pensam e falam aquilo que a linguagem ‘gregária’ os obriga a pensar e falar. A linguagem gregária é como um jogo de xadrez, com uma lógica rigorosa e desenvolvimento previsível. As instituições e os jornais se fazem com ela. Assim, basta que as primeiras palavras sejam ditas para que se possa adivinhar quais serão as últimas.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

INDIGNAÇÃO...

Precisei de um tempo para amenizar toda a minha ira com relação aos comentários contra os Nordestinos postados nas Redes Sociais (Twitter e Facebook) e tentar colocar em palavras toda a frustração que senti ao ver esses jovens demonstrando tanto ódio.
A que se deve todo esse ódio?
A única coisa que consegui enxergar nesses jovens é que são totalmente incapazes de pensar, estudar, analisar os fatos reais e formar uma opinião.
Pra mim ficou perfeitamente claro que são jovens sem personalidade, que não conseguem pensar por conta própria e precisam sempre da manipulação de alguém que os conduza como gado sem cérebro.
Infelizmente, além de se acharem superiores aos nossos irmãos do Norte/Nordeste, eles acreditam mesmo que toda a riqueza do país vem do trabalho de suas abençoadas mãos.
Quantos deles trabalham de fato?
Quantos já precisaram trabalhar pra sobreviver?
Se tivessem sentido na pele a necessidade que a vida impôs aos nossos irmãos do Norte/Nordeste, devido aos desmandos de governos anteriores, talvez conseguissem ser um pouco mais gente, um pouco mais humanos, ou, talvez um pouco mais “Do Bem”!
Se tivessem estudado, como querem nos fazer crer, talvez conseguissem perceber a diferença que se apresentou nesse país nos últimos anos pelas mãos de um presidente que veio da classe operária, do povo, de origem simples, que é respeitado no mundo inteiro e que mudou a realidade do nosso país aqui e lá fora.
Ah! O presidente com o maior índice de aprovação (+ de 80%), que transformou esse país, que mudou a maneira como o Brasil é visto lá fora, que é respeitado onde quer que vá, é NORDESTINO!
Existem outros:
Jorge Amado, Ariano Suassuna, Manuel Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Alceu Valença, Ivete Sangalo, Pity, Chico Science, Lenine, Dorival Caymi, Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Patativa do Assaré, Graciliano Ramos, José Lins do Rego, Rachel de Queiroz, entre outros. Conhecem?
Que bobagem, a cultura, desses imbecis, é tão mínima que provavelmente nem devem conhecer nenhum desses nomes.
Se realmente conhecessem o país onde vivem e as pessoas que dizem sustentar, talvez entendessem que na realidade foram sustentadas por essas mesmas pessoas através da pobreza e miséria a elas impostas.
Talvez entendessem que muito do desenvolvimento existente no Centro-Sul se deve a falta de investimento no Norte/Nordeste.
Se soubessem como analisar os números de uma eleição veriam que mesmo sem o Norte/Nordeste o quadro político que se apresentou no dia 01/11/2010 seria o mesmo, demonstrando assim que além de não conseguir enxergar a realidade como ela de fato é esses jovens pseudo-alfabetizados não sabem sequer fazer conta.
Como disse Marcos Coimbra:
“Dilma se elegeu com o voto de pessoas de todos os tipos, desde os eleitores mais humildes do interior e das cidades pequenas, até os setores mais educados e modernos de nossa sociedade, que vivem em metrópoles ricas e avançadas. Seu desempenho, segmento por segmento do eleitorado, não foi homogêneo (como não foi o de Serra), pois em uns ela se saiu melhor que em outros. Mas isso não invalida que sua candidatura tenha sido amplamente apoiada nos estratos de educação e renda elevados, como mostravam as pesquisas.”
A maioria desses “Internautas Twitteiros” não consegue entender sequer o significado das palavras de um texto, quanto menos a mensagem na integra.
Como diz a amiga e professora Graça Aguiar:
“Esses jovens choram pelos míseros centavos que viabilizam o bolsa família, mas aplaudem os bilhões que são drenados pelas multinacionais e os investidores do capital motel. Reclamam assistência social realizada pelo governo federal, mas não se importam em entregar sorrindo o patrimônio nacional para a privatização. Em sã consciência não podemos considerar esses jovens ditosos e educados, eles são seres necessitados e doentes (...)”
Ouso dizer que são jovens doentes espiritualmente, desprovidos de sentimentos de solidariedade e humanidade.
Faço minhas as palavras de nosso colega Euler Conrado:
“Tenho orgulho de ter contribuído para derrotar uma candidatura que expressa todo este atraso espiritual existente no nosso território.”
Tremo em pensar que nosso país estará nas mãos de jovens com esse espírito num futuro muito próximo...
Como disse minha amiga Graça: “Nosso trabalho como educadores é imenso”, e a cada dia que passa se torna maior.

Luciano Rodrigues Gallo


Incorporo ao texto principal o comentário do amigo e educador Edinho Poscidônio:


Que falta faz a inteligência! Não consegui chegar ao final do vídeo. Muito triste. Que pena que ainda existam pessoas tão míopes. Concordo que são opiniões de segunda mão, não é nada deles não. Este tipo de neonazista é fruto de falta de família, falta de escola, falta de leitura, falta de cultura, falta de educação, falta de vergonha, falta de limites, falta de inteligência, falta de tolerância, falta de amor, falta de humanidade, falta de solidariedade, falta de caridade, falta de visão, falta de informação, falta de respeito, falta de ética, falta de altruísmo, falta do que fazer, falta, falta, falta, falta... Que pena!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

S.O.S. EDUCAÇÃO PÚBLICA: Xenofobia, Preconceito e Intolerância: resíduos tóxicos da ideologia neoliberal.

A onda de ataques eivados de ódio e preconceito contra os cidadãos brasileiros do nordeste e os das classes menos favorecidas que infestou as redes sociais após a derrota do Serra, movida pelos jovens da classe média da região centro-sul, envergonhou todos nós cidadãos brasileiros, revelando uma face até então desconhecida do Brasil....

terça-feira, 2 de novembro de 2010

BRASIL - PAÍS DO FUTURO...

Luciano Rodrigues Gallo
“País do futuro!” Nunca concordei com essa afirmação.
Nasci num país muito bonito e cresci com a crença de que o brasileiro era um povo preguiçoso, que não gostava de trabalhar e por essa razão o país não se desenvolvia.
Os governos estavam “trabalhando duramente” para transformar esta realidade, quer dizer, fazer com que as pessoas trabalhassem em prol do desenvolvimento.
A frase que mais se ouvia era – O Brasil é o país do futuro – e o pior era que estas supostas realidades eram aceitas, como se ser o “país do futuro” fosse algo que se pudesse considerar razoável, pois bem, pra mim não era, mas eu nem sabia porque, pelo menos não ainda.
As pessoas estavam convencidas disso, principalmente no interior do país, onde as informações que tínhamos não eram corretas (era tudo muito diferente do que é hoje), a manipulação das informações era muito grande.
As pessoas acreditavam no que era veiculado, e quando não acreditavam, eram desacreditadas, oprimidas, humilhadas, presas, torturadas, etc.
Ouvi certa vez alguém em quem confiava tecer uma comparação entre brasileiros e japoneses, mais ou menos assim:
“O imperador daquele país teria pedido a seu povo que trabalhasse menos, que reduzisse a jornada de trabalho e produzisse menos, pois a produção em excesso é também um fator prejudicial à economia. Enquanto no Brasil, a única coisa que os trabalhadores faziam eram manifestações para se trabalhar menos.”
Hoje sabemos que estas manifestações eram muito mais políticas do que trabalhistas.
Tive a sorte de sair do interior, novo ainda, e poder enxergar as coisas como realmente eram, e não como queriam que acreditássemos.
A realidade era muito diferente daquilo que nos era desenhado.
Sempre fui uma pessoa muito desconfiada e nunca limitei minhas informações a poucas fontes, parecia que nunca me satisfazia...
Vivi a maior parte da minha vida na capital do meu estado e pude constatar que o povo brasileiro, ao contrário do que era veiculado, é muito trabalhador, caloroso, hospitaleiro, bem humorado, festeiro, possui uma fé no futuro como poucos, e acreditava realmente que o “Brasil era o país do futuro”.
Parece que isto está mudando.
Estamos atravessando uma fase nesse país em que esta frase não se aplica mais.
O Brasil não é mais o “país do futuro”.
O Brasil de hoje é o “PAÍS DO PRESENTE”, O Brasil hoje acontece, e precisou vir um presidente do povo e mostrar a todos que duvidavam que podemos fazer acontecer.
Precisou vir alguém e “nos dar a certeza de que o governo tem obrigação de fazer por nós”, que não é um favor o governo cuidar do seu povo.
Estamos muito longe ainda de ser um país justo, mas, nesse meu meio século de vida, eu pensei que não fosse enxergar certas mudanças que estão acontecendo.
De alguns anos pra cá eu sinto que a tal frase, que sempre me incomodou, mudou.
O Brasil deixou de ser o país do futuro e passou a ser o país do presente.
Tenho muita fé que a realidade desse país “abençoado por Deus” continue esse caminho de transformação.
Ainda há muito a ser feito, e, precisamos saber que muito disso depende de nós brasileiros.



A amiga Graça Aguiar (Professora) complementou de maneira brilhante meu singelo pensar...

Esse Brasil ainda vive no imaginário coletivo e continua sendo uma arma de manipulação, vide a campanha eleitoral, quando o candidato Serra sempre falava da educação colocando-a sempre no futuro. A erradicação dessa representação da nação deve ser constantemente trabalhada em sala de aula, pois essa visão milenarista presta-se a engabelar o povo, para que espere a solução de suas mazelas no devir, enquanto a elite se locupleta no Brasil do presente. O mecanismo é similar ao utilizado na Idade Média, quando o bem estar e a felicidade dos pobres aconteceria no paraíso celestial.

Essas representação norteia a vida nacional e foi construída pelos e para os coronéis da República Velha. Repare que o hino nacional coloca a beleza, a força, isto é, realização do “impávido colosso” (Brasil) como uma miragem pertencente ao devir ¨ e o teu futuro espelha essa grandeza “. É um país fadado à imobilidade, pois a sua grandeza já existe, dada "pela própria natureza" e nada precisa ser feito ou melhorado, pois o Brasil se queda “ deitado eternamente em berço esplêndido”. Percebe-se na letra do hino a mentalidade escravocrata da elite, que evoca liberdade para a defesa dos seus interesses, entretanto deseja que todo o resto permaneça como estava, ou seja, o povo que espere, de preferência como zumbis, a participação nas riquezas e no poder desse colosso.
A ideologia das classes dominantes conceberam a nação como uma cornucópia abundante e inesgotável, sob seu domínio, que “tudo dá” eternamente à sua disposição. Nesta representação o brasileiro deixa de ser sujeito e passa a ser um eterno beneficiário das dádivas da natureza, nada precisa ser feito, construído ou melhorado, pois tudo já se encontra pronto, pré-destinado. Entretanto quem tem o domínio da natureza (terras) são os barões do café, o povo é um penetra tolerado neste paraíso, mas como visitante deve ser monitorado por seus dirigentes. Não é à toa que a cidadania no Brasil, não é vista por nossas autoridades como um direito, ela é tida ainda como um favor, uma esmola decorrente da generosidade dos ocupantes do poder.
Amigo o nosso trabalho como educadores é imenso, pois o domínio do imaginário pela ideologia é feito na base do inconsciente e somente uma educação de qualidade pode libertar as mentes e preparar as pessoas para não se deixarem levar pela propaganda ideológica.
Percebes agora o que motiva a baixa qualidade da educação pública e a campanha de desqualificação dos professores?
Apesar de todos os obstáculos, nós educadores estamos aqui, lutando e batalhando no país do presente, o Brasil para nós é aqui e agora.

Abraços

Graça Aguiar


domingo, 31 de outubro de 2010

Pequena memória para um tempo sem memória

Gonzaguinha


Memória de um tempo onde lutar
Por seu direito
É um defeito que mata
São tantas lutas inglórias
São histórias que a história
Qualquer dia contará
De obscuros personagens
As passagens, as coragens
São sementes espalhadas nesse chão
De Juvenais e de Raimundos
Tantos Júlios de Santana
Uma crença num enorme coração
Dos humilhados e ofendidos
Explorados e oprimidos
Que tentaram encontrar a solução
São cruzes sem nomes, sem corpos, sem datas
Memória de um tempo onde lutar por seu direito
É um defeito que mata
E tantos são os homens por debaixo das manchetes
São braços esquecidos que fizeram os heróis
São forças, são suores que levantam as vedetes
Do teatro de revistas, que é o país de todos nós
São vozes que negaram liberdade concedida
Pois ela é bem mais sangue
Ela é bem mais vida
São vidas que alimentam nosso fogo da esperança
O grito da batalha
Quem espera, nunca alcança
Ê ê, quando o Sol nascer
É que eu quero ver quem se lembrará
Ê ê, quando amanhecer
É que eu quero ver quem recordará
Ê ê, não quero esquecer
Essa legião que se entregou por um novo dia
Ê eu quero é cantar essa mão tão calejada
Que nos deu tanta alegria
E vamos à luta.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

NaMaria News: História de um leitor tucano cidadão

"Este singelo blog teve a honra de receber a mensagem de um leitor que segue abaixo. Embora não seja de nosso feitio, publicamos. É um recado..."

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O Biscoito Fino e a Massa

O maiô de dona Marisa, ou: Quem são os verdadeiros jecas do Brasil? por Rodrigo Nunes.

Vale muito a leitura...

domingo, 24 de outubro de 2010

Nomes perfeitos para as respectivas atividades (rsrsrs...)

A vida é séria demais por si só.....
Rir é sempre uma benção....
Aproveite:







Ana Lisa
Psicanalista

P. Lúcia
Fabricante de Bichinhos

Pinto Souto
Fabricante de Cuecas

Marcos Dias
Fabricante de Calendário

Olavo Pires
Balconista de Lanchonete

Décio Machado
Guarda Florestal

H. Lopes
Professor de Hipismo

Oscar Romeu
Dono de Concessionária

Hélvio Lino
Professor de Música

K. Godói
Médico especialista em hemorróidas

Alberta Alceu Pinto
Garota de Programa

H. Romeu Pinto
Garoto de Programa

Eudes Penteado
Cabeleireiro

Sara Vaz
Mãe de Santo

Passos Dias Aguiar
Instrutor de Auto-escola

Édson Fortes
Baterista

Sara Dores da Costa
Reumatologista

Jamil Jonas Costa
Urologista

Iná Lemos
Pneumologista

Ester Elisa
Enfermeira

Ema Thomas
Traumatologista

Malta Aquino Pinto
Médico especialista em doenças venéreas

Inácio Filho
Obstetra

Oscar A. Melo
Confeiteiro

Jacinto Pinto Aquino Rego
Gaúcho

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

NINGUÉM É SUBSTITUÍVEL !!!

"Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua equipe de gestores.
Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um ameaça: "ninguém é insubstituível"!
A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio.
Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça. Ninguém ousa falar nada.
De repente um braço se levanta e o diretor se prepara para triturar o atrevido:
- Alguma pergunta?
- Tenho sim. E Beethoven?
- Como? - o encara o diretor confuso.
- O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu Beethoven?
Silêncio…
O funcionário fala então:
- Ouvi essa estória esses dias, contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso. Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no lugar. Então, pergunto: quem substituiu Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado? Pelé? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Zico? Etc.?…

O rapaz fez uma pausa e continuou:

- Todos esses talentos que marcaram a história fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar. E, portanto, mostraram que são sim, insubstituíveis. Que cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa. Não estaria na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe, em focar no brilho de seus pontos fortes e não utilizar energia em reparar seus 'erros ou deficiências'?

Nova pausa e prosseguiu:

- Acredito que ninguém se lembra e nem quer saber se BEETHOVEN ERA SURDO, se PICASSO ERA INSTÁVEL, CAYMMI PREGUIÇOSO, KENNEDY EGOCÊNTRICO ou ELVIS PARANÓICO O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos. Mas cabe aos líderes de uma organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços, em descobrir os PONTOS FORTES DE CADA MEMBRO. Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto.

Divagando o assunto, o rapaz continuava.

- Se um gerente ou coordenador, ainda está focado em 'melhorar as fraquezas' de sua equipe, corre o risco de ser aquele tipo de ‘técnico de futebol’, que barraria o Garrincha por ter as pernas tortas; ou Albert Einstein por ter notas baixas na escola; ou Beethoven por ser surdo. E na gestão dele o mundo teria PERDIDO todos esses talentos.
Olhou a sua a volta e reparou que o Diretor, olhava para baixo pensativo. O volto a dizer nesses termos:
- Seguindo este raciocínio, caso pudessem mudar o curso natural, os rios seriam retos não haveria montanha, nem lagoas nem cavernas, nem homens nem mulheres, nem sexo, nem chefes nem subordinados… Apenas peças… E nunca me esqueço de quando o Zacarias dos Trapalhões que 'foi pra outras moradas'. Ao iniciar o programa seguinte, o Dedé entrou em cena e falou mais ou menos assim: "Estamos todos muito tristes com a 'partida' de nosso irmão Zacarias... e hoje, para substituí-lo, chamamos:…NINGUÉM…Pois nosso Zaca é insubstituível.” – concluiu, o rapaz e o silêncio foi total.

Conclusão:

PORTANTO NUNCA ESQUEÇA: VOCÊ É UM TALENTO ÚNICO! COM TODA CERTEZA NINGUÉM TE SUBSTITUIRÁ!
"Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo..., mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso"."

"NO MUNDO SEMPRE EXISTIRÃO PESSOAS QUE VÃO TE AMAR PELO QUE VOCÊ É… E OUTRAS… QUE VÃO TE ODIAR PELO MESMO MOTIVO… ACOSTUME-SE A ISSO… COM MUITA PAZ DE ESPÍRITO…"

Desconheço a autoria



Incorporo o comentário da colega Graça - Rio de Janeiro

Sugiro a leitura deste texto, bem devagar, pois é um santo remédio para o mal da alienação, produzida pelo sistema capitalista.

Fazer as pessoas se sentirem como peças descartavéis é uma estratégia do sistema para submeter e dominar via terror.

Em casos graves, sugiro a leitura por tempo indeterminado, só pare quando não sentir mais medo.

Abraços

Graça

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Ser professor não compensa. SER PROFESSOR NÃO COMPENSA???

Salário baixo, culpa por tudo que está errado na Educação, desvalorização por parte da sociedade e dos governantes, que tratam os profissionais dessa área como os desprovidos de possibilidades outras que não a de ser professor(a).
Pensando por esse aspecto estes já seriam motivos suficientes para abandonar a carreira e procurar outra que atenda melhor as nossas necessidades, que não são poucas.
Contudo, não fazemos isso, é muito difícil encontrar alguém, que gosta dessa profissão, e que simplesmente a abandone por um salário melhor, ou condições de trabalho menos desgastantes, ou ainda, a possibilidade de ser elogiado e reconhecido pela sociedade na qual está inserido.
Não, quem ama a profissão sabe que ela reserva as mais encantadoras surpresas: como o sorriso do aluno que você conseguiu que aprendesse, o brilho nos olhos daqueles a quem você demonstrou amizade e solidariedade em um momento complicado da vida, a mudança no comportamento daquele “aluno difícil” que você elogiou e descobriu que ele só queria que alguém o enxergasse, o aperto de mão de alguém que você não vê há muito tempo, mas não se esqueceu do professor, e tantas outras.
Com o tempo você descobre que o que importa nessa profissão não é o salário, nem o reconhecimento dos governantes, e, muito menos a aprovação de uma sociedade que não valoriza o que é importante.
O que importa são os alunos, pois é com eles que você divide seu mundo, pensamentos, crenças, conhecimentos, lutas, sentimentos e tudo que faz de você a pessoa que é.
O que importa é saber que se você é importante na vida deles, eles também o são na sua.


Quer um exemplo:

Homenagem de Josiane 15/10/2010
“Luciano,
Obrigado por ter se identificado comigo, não é atoa, pois é uma das matérias que eu mais gosto, agradeço por ter sido meu professor e nunca me esquecerei dos seus ensinamentos. Um professor não ensina só para o hoje ou para o amanhã, mas sim para a vida toda do aluno."
Abraços, Josiane.




Agora eu te pergunto:


SER PROFESSOR NÃO COMPENSA???
É claro que compensa, e muito…


Luciano Rodrigues Gallo

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Cântico Negro

José Régio

"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidade!
Não acompanhar ninguém.
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?
Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.
Como, pois sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...
Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tectos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.
Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!!

domingo, 17 de outubro de 2010

Aos Mestres OBRIGADO, OBRIGADO E OBRIGADO...

Esse professor aí debaixo te lembra alguém?!?!?!? A mim sim...

Passei o dia do professor matutando, brincando com minha memória que, graças a Deus, é privilegiada.
Fiquei me lembrando dos meus professores, meus Mestres, sabe, aqueles que conseguem nos ensinar, não só os conteúdos disciplinares, mas o conteúdo da vida. Tive a honra de conhecer e conviver com alguns assim.
Me lembro de uma professora de História que, na minha visão de menino, era uma mulher imensa, quase assustadora, mas que tinha uma doçura no olhar e no modo como tratava seus alunos que me conquistou na primeira aula e se manteve presente na minha memória, ou aquela professora de Educação Artística (hoje Artes), magrinha, miudinha, com um cabelo imenso, liso, negro, como o de uma grande cantora da época (Perla), e que dentro da sala de aula parecia contagiar as pessoas com a sua paixão, era incrível como todos nós queríamos atender às suas solicitações e participar da forma mais efetiva dos trabalhos propostos, tentando fazer o melhor, dividindo com os colegas, solicitando a atenção dela e conseguindo, não só a atenção, como também o incentivo, pois nunca a ouvimos desvalorizar as tentativas de qualquer aluno que fosse. Nunca ouvimos a voz dela se alterar em todas as aulas que tivemos.
Tinha aquela professora de Física, que pra mim era uma coisa do outro mundo, aquela "mana" que ia tomar uma com a turma depois da aula, que curtia as mesmas músicas que a gente, e com seu jeito de ser,  não só me ensinou a matéria como também a gostar dos cálculos, ou ainda aquele professor de Geografia, que me mostrou que não existiam só os relevos, climas, hidrografias e vegetações no mundo Geográfico, me ensinou - numa realidade onde não lhe era permitido isso - toda a extensão que a Geografia pode ter e de fato tem na vida das pessoas.
Tantos outros foram importantes que se fosse falar de cada um deles esse relato ficaria grande e tedioso demais, pouco coerente para a época em que vivemos.
Fiquei pensando o quanto os meus Mestres tiveram importância na formação da pessoa que sou hoje, o quanto eles contribuíram para que eu tivesse a postura que tenho hoje com meus alunos, com meu trabalho, com a minha vida e as pessoas que dela fazem parte, e conclui que foi fundamental.
É por isso que me apaixono pela profissão que escolhi, ou que me escolheu, a cada dia, a cada pequena vitória que consigo com meus alunos e comigo mesmo, independente das circunstâncias, das críticas e das desvalorizações.

Aos mestres...

OBRIGADO.

Luciano Rodrigues Gallo





terça-feira, 12 de outubro de 2010

Diferenças entre:"Amigo Simples” – “Amigo de verdade” – “Amigo pá Caralho"

Amigo simples traz "alguma coisinha"para sua festa.
Amigo de verdade chega cedo, ajuda a cozinhar e fica até mais tarde para te ajudar a limpar.
Amigo pá caralho faz tudo isso, e ainda se diverte horrores na sua festa, anima os convidados, dorme na sua casa e pensa se segunda-feira não é muito cedo pra ir embora. (Detalhe: você adooora!!!).

Amigo simples odeia quando você liga depois que ele já se deitou, e cochila enquanto você fala.
Amigo de verdade pergunta por que você deixou pra ligar tão tarde já que teve o dia todo, e cochila enquanto você fala.
Amigo pá caralho pergunta se você tá virando viado prá ligar aquela hora, te manda tomar no $#% e fala para você ir curar tuas mágoas com cachaça.
Você diz que não bebe e ele diz: Eu sei praga!!! Vai dormir que passa INFERNO!!!.

Amigo simples procura você para conversar sobre os próprios problemas.
Amigo de verdade procura você para te ajudar com os seus problemas.
Amigo pá-caralho procura você, te ajuda com os teus problemas, te leva pra gandaia, te bota pra cima, e ainda te ajuda a dar o troco em quem te deixou assim!!!

Amigo simples, ao visitá-lo, age como uma visita.
Amigo de verdade abre a geladeira e serve-se sozinho.
Amigo pá Caralho abre a geladeira, serve-se sozinho e ainda reclama que não tem o que ele gosta.

Amigo simples pensa que a amizade acabou depois de uma discussão.
Amigo de verdade sabe que não é amizade enquanto não teve a primeira briga.
Amigo pá Caralho xinga você, grita com o seu cachorro e chuta seu carro, mas tá tudo bem.

Amigo simples espera que você esteja sempre lá para ele.
Amigo de verdade espera sempre estar lá, PRA VOCÊ !!!
Amigo pá-caralho te espera duas horas até ficar revoltado. Vai até a sua casa, xinga você, grita com o teu cachorro e chuta seu carro, tudo de novo.

 
 
Desconheço autoria

Sim, Sei bem

Fernando Pessoa

 
Sim, sei bem
Que nunca serei alguém.
Sei de sobra
Que nunca terei uma obra.
Sei, enfim,
Que nunca saberei de mim.
Sim, mas agora,
Enquanto dura esta hora,
Este luar, estes ramos,
Esta paz em que estamos,
Deixem-me crer
O que nunca poderei ser.

domingo, 10 de outubro de 2010

Derrame tóxico - Hungria

Provocado por uma fuga de lama vermelha do reservatório de uma fábrica de alumínio na cidade de Ajka, atingiu duas aldeias: Devecser e Kolontar.
Eliminou todo o ecossistema no rio Marcal e ameaça de contaminaçao a Alemanha, Eslováquia, Croácia, Sérvia, Bulgária, Romenia e Ucrânia.
Vejam as fotos…

Summertime - Janis Joplin



Uma das melhores dela... Ela era D+...

sábado, 9 de outubro de 2010

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

FRASES DE EFEITO

Pra rir um pouco (ou muitooooooo)...

1. O amor é como capim: você planta e ele cresce. Aí vem uma vaca e acaba com tudo;
2. O novo email do governo é: planalto@lheira.gov.br;
3. Estamos numa época em que o Fim do Mundo não assusta tanto quanto Fim do mês;
4. O homem é o único animal que consegue estabelecer uma relação amigável com as vítimas que ele pretende comer;
5. Tamanho não é documento e dinheiro não traz felicidade. (Autor desconhecido, pobre e de pinto pequeno);
6. Nunca fiz amigos bebendo leite;
7. Acho que estou com anorexia: Não estou comendo ninguém;
8. Quer conhecer tua namorada... CASA! Quer conhecer tua mulher. SEPARA!!!;
9. Quando me casei, descobri a felicidade. Mas aí, já era tarde demais...;
10. Casamento é uma tragédia em dois atos: civil e religioso;
11. Amor é aquilo que começa com um príncipe beijando um anjo e acaba com um careca olhando para uma gorda;
12. Velho é aquele que quando jovem costumava ter quatro membros flexíveis e um duro. Agora tem quatro duros e um flexível;
13. Status é comprar uma coisa que você não quer, com um dinheiro que você não tem, para mostrar pra gente que você não gosta, uma pessoa que você não é;
14. Feliz é aquele que é tão bonito quanto a mãe acha que é.Tem tanto dinheiro quanto o filho dele acha que tem. Tem tantas mulheres quanto a mulher dele acha que ele tem. E é tão bom de cama como ele acha que é;
15. Quem trabalha muito, erra muito. Quem trabalha pouco, erra pouco. Quem não trabalha não erra. E quem não erra.. é promovido;
16. Como é difícil se livrar de uma mulher fácil;
17. Sabe o que o argentino tem mais que o brasileiro? Tem mais é que se fuder;
18. A verdadeira bravura está em, chegar em casa bêbado, de madrugada, todo cheio de batom, ser recebido pela mulher com uma vassoura na mão e ainda ter peito pra perguntar: vai varrer ou vai voar?;
19. Casamento é igual piscina gelada, depois que o primeiro tonto entra, FICA falando para OS outros: Pula que a água tá boa;
20. Eu li que fumar fazia mal, então parei de fumar.. Li que beber fazia mal, então parei de beber.Li que comer gordura fazia mal, então parei de comer.. Li que sexo fazia mal, então parei de LER!!!;
21. Um cigarro encurta a vida em 2 minutos.. Uma garrafa de álcool encurta a vida em 4 minutos.. Um dia de trabalho encurta a vida em 8 horas;
22. Mulheres são como piscinas: O custo DA manutenção é muito elevado se comparado ao tempo que passamos dentro delas;
23. Se você sentir duas bolinhas encostando na sua bunda, não se preocupe, o pior já passou'.
24. Se caminhar fosse bom para a saúde o carteiro seria imortal;
25. Se você é capaz de sorrir quando tudo deu errado, é porque já descobriu em quem pôr a culpa;
26. A posição sexual que OS casais mais usam é a de cachorrinho: o marido senta e implora. A mulher rola e finge de morta!!!;
27. Duro mesmo é quando. você é um gêmeo Siamês. Seu irmão, colado no seu ombro, é gay. Você não é. Ele tem um encontro esta noite. E vocês, só têm uma bunda;
28. Galileu, quando afirmou que o mundo girava ele simplesmente afirmou o que nós bêbados já sabíamos;
29. Crianças no banco dianteiro podem causar acidentes. Acidentes no banco traseiro podem causar crianças;
30. Eu bebo pra ficar ruim mesmo.. Se fosse para ficar bom eu tomava remédio;
31. A diferença entre uma mulher na TPM e um seqüestrador, é que com o seqüestrador ainda existe uma possibilidade de negociação;
32. Se não puder ajudar, atrapalhe, afinal o importante é participar;
33. Errar é humano. Colocar a culpa em alguém é estratégico;
34. Sexo é como truco, Se você não tem um bom parceiro, é melhor que tenha uma boa mão;
35. Os homens mentiriam muito menos se as mulheres fizessem menos perguntas;
36. Errar é humano, persistir no erro é americano, acertar no alvo é muçulmano;
37. Roubar idéias de uma pessoa é plágio.. Roubar de várias, é Monografia;
38. Nas horas difíceis da vida você deve levantar a cabeça, estufar o peito, e dizer de boca cheia: Agora fudeu!!!;
39. Já que cada vez mais as mulheres estão indo em busca de seus direitos, bem que na volta poderiam trazer uma cerveja;
40. Mulher feia é que nem muro alto, primeiro dá um medo.. mas depois a gente acaba trepando;
41. Não te cases por dinheiro, podes conseguir um empréstimo bem mais barato;
42. Casar é a metade do divertimento pelo dobro do preço;
43. Há 2 palavras que abrem muitas portas: Puxe e empurre;
44. Não há melhor momento do que hoje para deixar para amanhã o que você não vai fazer nunca;
45. Mulher feia é que nem pantufa.. dentro de casa é até gostoso, mas pra sair na rua dá uma vergonha;
46. Filho é igual a peido: você só agüenta o seu.. e olha lá;

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Onde estão os Sonhos???

Li em algum livro que sonhos são diferentes de desejos. Os desejos não resistem ao calor das dificuldades, enquanto que os sonhos resistem às altas temperaturas das adversidades.
Onde estão os sonhos dessa nossa juventude?
Convivo com adolescentes que, apesar de interligados, desistiram de lutar pela vida, por um mundo melhor, antes mesmo de começar.
Onde estão os jovens que contestavam, questionavam o mundo dos adultos?
Onde estão os jovens que criticavam e julgavam aqueles que produzem o mundo onde eles vivem?
Hoje os jovens estão calados, apesar de fazer muito barulho, nada dizem, perderam a capacidade de discutir, querem o mundo pronto, não sentem a necessidade de sonhar com um mundo melhor, um futuro diferente.
Costumamos dizer que é a geração que não quer ter o trabalho nem sequer de mastigar, se contentam em não realizar nada, é a geração que não quer batalhas, que se não acha pronto aquilo que quer, não luta pra conseguir. Está satisfeita com o que já está definido. Todos falam as mesmas coisas, se comunicam com os mesmos aparelhos, se relacionam nas mesmas redes sociais, estão totalmente alienados e não percebem que se tornaram meros consumidores de um mundo já construído, se iludem e se confundem com desejos impostos por uma sociedade consumista e massificante.
Fico preocupado em ver que poucos são os jovens que sonham, que tem um projeto de vida, aliás, poucos são os que pensam no seu futuro, pior, poucos são os que pensam.
Vivemos num mundo onde a informação é um patrimônio valiosíssimo e está ao alcance de todos, num clique, e mesmo assim os jovens se utilizam desse recurso para bater papo com pessoas que eles vêem todos os dias ou para deixar recadinhos mal educados, além de mal escritos.
Convivo com essa nova tecnologia e o que vejo são jovens que não sabem, não querem e nem conseguem utiliza-la. Percebe-se que nem esse recurso que faz parte da realidade deles, muito mais do que da minha, foi assimilado como deveria.
Faço parte de uma geração que questionava tudo no mundo “adulto”, e ainda hoje permaneço um questionador.
Temos que, ao longo de nossa trajetória, desenvolver uma consciência critica dos acontecimentos e do mundo, sob pena de nunca conseguir entender as nossas particularidades.
Acredito que os sonhos são projetos de vida, possuem raízes profundas que, mesmo diante das adversidades, não morrem, apenas se recolhem, se escondem e adormecem, pra na hora certa se manifestarem.
Mas como pode se manifestar um sonho que sequer nasceu?

“Não devemos ter medo de nos frustrar por não realizar nossos sonhos, e sim medo de não sonhar”.

“Seja um sonhador, mas una seus sonhos à disciplina, pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas.”

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Imagens e Verdades...

É estranho como nos identificamos com pessoas com quem nunca tivemos nenhum tipo de contato físico, apenas virtual ou telefônico, etc.

Eu sou mestre em encontrar pessoas com as quais me identifico dessa maneira, e, ao contrário do que parece esta afinidade aumenta quando se estabelece o contato real.

Estava conversando com uma amiga assim, virtual, sobre a imagem dos homens, diante da vida e a verdade.

Demonstramos o tempo todo que somos fortes e capazes de suportar sofrimentos emocionais sem sequer nos abater. Todos sabem que esta não é a realidade, ao contrário, quando o assunto é sentimento, a verdade é que não sabemos lidar com eles com a mesma competência que as mulheres. Fomos criados assim, dentro de uma cultura onde temos de ser os fortes, os que “protegem” e elas as frágeis, as que devem ser “protegidas”.

No passado, não muito distante, era como se o mundo fosse dividido em dois reinos:
O dos sentimentos, dominado pelas mulheres, onde era, e ainda é permitido explorar a todos eles;

O da força, dominado pelos homens, onde sentimentos permitidos só os classificados como “coisa de macho”, a raiva, ira, o ódio, etc., outro tipo, nem pensar, sob pena de ser excluído do convívio com os outros homens e mulheres.

Muita gente diz que os valores mudaram, e, de fato, basta que observemos o mundo atual para constatar estas mudanças.

Hoje as mulheres estão assumindo o papel de seres independentes que não precisam da proteção de ninguém, muito menos de um ser que é, emocionalmente, menos capacitado do que elas.

E quando digo que somos menos capacitados, não significa que sentimos menos, ou temos menos sentimentos, significa apenas que não sabemos lidar com eles da mesma maneira que elas.

Essa mudança é real, perceptível aos homens. Para acompanhar essa mudança tão radical no comportamento das mulheres seria necessária uma mudança também radical no comportamento dos homens.

Mas por que ela não ocorre? Pensem bem...

O debate com essa minha amiga girava exatamente em torno desse tema.

Ela me dizia que os homens têm necessidade de mostrar a imagem de “forte” procurando esconder uma vulnerabilidade que está presente neles muito mais do que eles gostariam de admitir, de deixar transparecer, e poderia até ser verdade, algumas décadas atrás.

Hoje a realidade é bem diferente, os homens que entendem a importância dos sentimentos, os que demonstram ser tão vulneráveis quanto elas, são vistos (por elas) como seres fracos que não merecem respeito. Não é irônico? Pensem nas conseqüências disso.

Acredito que a imagem do homem “forte”, “protetor”, “provedor” por vezes até mesmo “insensível” é uma necessidade muito mais da mulher do que do próprio homem.

Saber lidar com os próprios sentimentos nos confere um conhecimento muito mais profundo sobre nós mesmos e nos possibilita uma empatia muito maior com o outro, e esse é o reino dominado pelas mulheres, e elas não pretendem abrir mão dele, enquanto este domínio for das mulheres a superioridade esta garantida.

sábado, 25 de setembro de 2010

As correntes...

Tenho escutado muito nesses últimos dias sobre as correntes do bem e do mal e como elas estão presentes ao longo da nossa evolução...

Você faz um bem a alguém, e o faz da maneira correta sem esperar nada em troca, nenhum tipo de retribuição, nem sequer um agradecimento. Esse bem recebido será repassado para outra pessoa, gerando então um círculo virtuoso do bem, que mais dia menos dia retornará a você, quase sempre da maneira que você menos esperava.



Qual deve então ser o nosso papel quando esta corrente nos atinge senão o de fortalecer os elos que a formam? Não é tão difícil quanto se pode pensar. Um aperto de mão, um sorriso dado na hora oportuna, um aconchego que traz calor ao coração, um auxílio, que muitas vezes, pra nós não faz diferença, mas para quem o recebe é de fundamental importância. Gestos simples que podem fazer a diferença.



Pode-se fazer o bem ao próximo com pequenas atitudes que muitas vezes deixamos de ter por julgar que só serão valorizados os gestos grandiosos.



Façamos sempre o nosso melhor quanto ao nosso próximo, que estaremos fazendo o bem, principalmente a nós mesmos, fortalecendo assim os elos da corrente do bem, de tal forma que ao longo do tempo eles se tornem indestrutíveis.



Por outro lado existe também a corrente do mal, esta muito mais notada que a outra, e, infelizmente, a que tem os elos fortalecidos de uma forma muito mais rápida e eficaz, ou seja, quando alguém nos faz mal conseguimos passar esse mal adiante com uma facilidade muito maior.



Devemos cuidar de nossas atitudes, ser responsáveis por nossos atos, para que o mal não nos atinja, mas quando acontece, o que é inevitável, devemos quebrar os elos dessa corrente, ou, no mínimo enfraquecê-los.



Deixar de fazer o mal é tão, ou mais importante que fazer o bem.

Se o preço, para que se quebre essa corrente, é o meu sofrimento, que seja.

Caberá a mim, ao longo da minha evolução, me fortalecer diante da vida para que, na minha caminhada, seja capaz de reagir da maneira correta diante das situações.



“A felicidade não está na saciedade de todos os prazeres, nem na ausência da dor. Ela depende da minha atitude interna diante do prazer e perante a dor.”

É uma tarefa muito difícil, mas é enriquecedor e gratificante para quem consegue realizá-la.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Amplidão

Chico César



Deixa eu te guardar, a casa é sua
Faz em mim teu lar, me reconstrua
Queira me habitar onde eu me escondo
Faz deste lugar só seu no mundo

Eu quero ser onde você sossega a alma
E chora e ri
E encontra a calma pra sonhar, sem dormir
Vem acender as luzes que iluminam o meu coração
Vem ter comigo sua parte da amplidão
De minha parte, eu estou aqui...

Eu quero ser onde você sossega a alma
E chora e ri
E encontra a calma pra sonhar, sem dormir
Vem acender as luzes que iluminam o meu coração
Vem ter comigo sua parte da amplidão
De minha parte, eu estou aqui... aqui...

sábado, 18 de setembro de 2010

Ensinar a Aprender ou Aprender a Ensinar?

Luciano Rodrigues Gallo_LRG

Sempre gostei de lidar mais com os mais velhos em sala de aula. Não sei explicar bem o porque, acho que a seriedade com que a maioria deles estuda acaba sendo um incentivo para que as aulas sejam preparadas visando atender as curiosidades que se apresentam, os testes de alunos que “se acham” sejam enfrentados com o conhecimento e não com o autoritarismo, os assuntos abordados sejam explicados e entendidos e não apenas expostos, que os conteúdos sejam mais bem explorados, enfim que uma aula seja uma transmissão de conhecimento e não somente um repasse de dados. Isso força um aprendizado maior por parte de quem ensina, pois só quem sabe bem o conteúdo pode ampliar esse conhecimento. Os questionamentos, as dúvidas, as piadas, as brincadeiras, as perguntas, mesmo as sem sentido, se tornam uma fonte de aprendizado para quem tem a humildade de se colocar como um aprendiz, e não como alguém que se julga melhor por ocupar uma posição diferente dentro da sala de aula.

No início da minha carreira de professor, e ainda hoje é assim, sempre tive que enfrentar as “piores salas”, as mais trabalhosas, com os alunos mais problemáticos, sabe “aqueles que não querem nada com nada” (será?), e isso longe de ser algo negativo me ensinou muito sobre o verdadeiro papel de um professor dentro da sala. Não devemos nos limitar ao conteúdo somente, pois se assim o fizermos, com certeza estaremos desprezando um bem maior, que é o de aprender seu aluno enquanto ser humano, com todos os defeitos e qualidades que o formam, enfim com toda a riqueza que cada um de nós carrega e nos possibilita a evolução. Sempre fui muito criticado, taxado de sonhador, de idealista, por achar que devemos, sempre, antes de mais nada, criar vínculos de amizade e afeto com os alunos. Aprendi cedo que quando agimos assim descobrimos o quanto aquele aluno difícil, que “não quer nada com nada”, de fato quer, geralmente ele quer muito mais do que a maioria.

Sempre fui uma pessoa de difícil convivência, mas quando era aluno me dei conta de que aprendia muito mais facilmente quando gostava de quem ensinava, quando, além da preocupação de me ensinar a “matéria” essa pessoa se importava comigo e não somente com o que eu estava aprendendo. Me lembro com carinho de todos os meus professores(as) que se enquadram nesse perfil, dos outros, eu mal consigo me lembrar o que ensinavam. Procuro aplicar essa filosofia em minhas aulas e tenho obtido resultados surpreendentes.

Pode parecer óbvio o que eu estou dizendo, e deveria ser, mas não é, eu já ouvi de colegas de profissão que “não estou aqui pra ser amigo (a) de ninguém”, ou “o que eu quero é o meu no fim do mês”, ou ainda “Ah!, se eu pudesse...”.

Muitos dizem que esta profissão é um “sacerdócio”, ou que “tem que ter um talento especial”, ou ainda, que “o amor à profissão deve suprir todas as necessidades”, (que são muitas), porém poucos são aqueles que de fato encaram essa profissão assim.

Não quero que acreditem que é fácil lidar com todos os problemas da educação, mas sou capaz de garantir que os alunos problemáticos, são, com toda a certeza, o menor deles. Pessoalmente acho muito mais complicado lidar com as pessoas cheias de mágoas e inveja, pessoas que acreditam que prejudicando seus “próximos” conseguiram chegar a algum lugar na vida. Infelizmente encontramos esse tipo de pessoa com muito mais facilidade nesse meio.

A Educação deveria ser um local repleto de pessoas que se importam umas com as outras, onde as pessoas entendam que estão lidando com outros seres humanos, e, que o lado humano deve ser o protagonista do processo de ensino/aprendizagem, onde os que se dizem “educadores”, devem aprender a ser mais humanos, a se doar como gente antes de ensinar o quer que seja.

Você que duvida do que eu estou dizendo reflita e responda:

Qual professor é capaz de ser um bom professor se não for capaz de se doar? Sem essa capacidade será tão somente um transmissor de conhecimento, e isso, hoje, qualquer computador é capaz de ser.

Beijos no coração!

Luttiano...